Entenda o assédio psicológico no trabalho por discriminação

Uma situação de assédio psicológico no trabalho sempre causa consequências nocivas para o trabalhador, que vão desde o adoecimento psicológico até riscos de acidente ou prejuízos em seu desempenho. Existem casos em que essa situação se agrava por ser motivada por fatores de discriminação.

Em qualquer caso, identificar o assédio psicológico no trabalho e tomar as providências em relação a isso é fundamental. A seguir, vamos esclarecer sobre essa ocorrência quanto está associada à discriminação e o que fazer.

Quando existe assédio psicológico no trabalho?

De um modo geral, o assédio psicológico no trabalho ocorre quando existe uma conduta abusiva, manifesta por palavras, gestos ou atitudes, que de maneira intencional e frequente afeta a integridade física e/ou psíquica do colaborador.

Diferente do que muitos pensam, ela pode ser vertical ou horizontal, isto é, praticada por superiores ou por colegas. O assédio psicológico pode se manifestar de diversas maneiras, desde a exclusão ou o ato de ignorar a pessoa em reuniões e atividades de trabalho, até a imposição de tarefas e prazos impossíveis de serem cumpridos.

O efeito é sempre um prejuízo social, psicológico e até mesmo profissional para o trabalhador. Portanto, trata-se de algo sério, sobre o qual se deve tomar uma providência. A situação e ainda mais grave quando motivada por discriminação.

Assédio psicológico no trabalho por discriminação

É possível identificar uma situação de assédio psicológico por discriminação quando as atitudes do agressor podem ser relacionadas a alguma características particular da pessoa. Infelizmente, na verdade, pessoas que apresentam característica consideradas diferentes estão dentre as mais suscetíveis a viver a situação de assédio.

As principais situações de assédio psicológico no trabalho motivadas por discriminação são:

– Sexo, principalmente em relação às mulheres;

– Religião;

– Atuação política, a exemplo de representação sindical;

Doenças crônicas;

– Deficiência física;

– Orientação sexual;

– Cor da pele e etnia;

– Classe social e nível de instrução.

Essas estão dentre as principais “motivações” para o assédio psicológico no trabalho por descriminação. Para entender a diferença dessa situação com uma de assédio no geral, vamos dar um exemplo.

Imagine que uma mulher trabalhe em uma empresa e toda sua equipe seja de homens. Nesse contexto, o seu chefe revista apenas o seu trabalho de maneira diferenciada, embora ela exerça a mesma função que os demais, e sugere em reuniões e outros contextos que ela é incapaz para o trabalho, ainda que isso não seja pautado em resultados reais.

Essa é uma situação dessa em que claramente está vinculada a um fator discriminatório, que neste caso, diz respeito ao sexo. Em nível legal esse tipo de atitude é ainda mais grave, pois diferente do assédio moral, atualmente a discriminação no trabalho é regulamentada legalmente como ilegal.

Portanto, se você está passando por uma situação de assédio moral no trabalho motivada por discriminação, é importante juntar provas e procurar auxílio jurídico. Essas provas podem ser desde anotações detalhadas dos acontecimentos a gravações e documentos que comprovem o ocorrido.

Se precisar de mais orientações sobre como proceder diante do assédio psicológico no trabalho por discriminação, o Escritório Marcos Roberto Dias pode te ajudar. Entre em contato!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *