Seguro de vida e previdência privada: entenda a diferença!

O seguro de vida e previdência privada são modalidades de investimento no futuro que tem ganhado atenção dos brasileiros diante das constantes mudanças e reformas. Isso porque ambos são meios para assegurar maior estabilidade, tanto para o trabalhador quanto para a sua família em caso de algum incidente.

Contudo, o seguro de vida e previdência privada, além de diferentes um do outro, ainda apresentam diversas possibilidades conforme a seguradora contratada. Essa diversidade gera dúvidas entre as pessoas. Por isso, vamos esclarecer sobre cada um deles a seguir.

Semelhanças entre seguro de vida e previdência privada que geram confusão

Principalmente para o trabalhador que não pode “sair investindo” em diferentes formas de assegurar o futuro, surgem dúvidas sobre o que é mais urgente e necessário. Em contextos como esse, pode haver equívocos na contratação de um seguro de vida ou previdência privada.

O fato é que existem diferentes modalidades de cada um deles, mas o que eles têm em comum diz respeito à proteção do patrimônio e transferência para herdeiros diante da morte do titular. Contudo, mesmo nessas situações, as coisas acontecem de maneira diferente. A seguir vamos falar de cada uma delas.

Qual o objetivo de ter uma previdência privada?

A previdência privada é parecida com um investimento, embora seja controversa sua nomeação enquanto um. O seu principal objetivo é assegurar uma aposentadoria complementar, portanto, é algo para um planejamento em longo prazo.

É importante que o trabalhador saiba que, diferente da aposentadoria pelo INSS, o valor a ser recuperado na previdência privada é aquele que foi investido, com as devidas correções e, também, taxas.

Para receber a previdência privada, basta cumprir o período de carência, que nada tem a ver com a carência do INSS: é relativo ao contrato estabelecido com a seguradora. Entretanto, por ela ser proporcional ao investido, quanto mais e por mais tempo se investir, melhores serão os retornos.

Ela poderá também ser transferida para herdeiros, conforme já foi mencionado, em caso de falecimento do titular. Nesse sentido, é preciso ficar atento aos termos da contratação para entender todos os valores, taxas, rendimento, sucessão e outras questões importantes referentes a ela.

Como funciona o seguro de vida?

O seguro de vida é uma alternativa mais comum para quem deseja assegurar não apenas o próprio futuro, mas também o da família. A diferença fundamental entre o seguro de vida e previdência privada é que o seguro só é resgatado em condições específicas, independentemente de tempo de carência.

Justamente por isso ele é mais encarado como um complemento para garantias contra imprevistos do que como um investimento. Todo seguro de vida garante que os sucessores recebam o valor contratado em caso de falecimento do titular. Portanto, esse é um dos fatores a se ficar atento no contrato: o valor coberto pelo seguro.

No entanto, alguns contratos de seguro de vida oferecem outras garantias ao titular, como cobertura em caso de invalidez, internação e, em alguns casos, resgates parciais ou integrais em situações de emergência.

Sendo assim, seguro de vida e previdência privada são alternativas diferentes e também complementares. O seguro de vida é uma maneira de garantir que, em caso de incidentes, a previdência privada ou outros investimentos em período de acumulação não sejam comprometidos, por exemplo.

Você pode continuar se informando sobre outros assuntos de interesse do trabalhador acompanhar o escritório Marcos Roberto Dias nas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *